Igreja Virtual Evangélica

As Bases da Existência da Editora Herr

Ensino para a Salvação e Libertação

João 8:31-32: Dizia, pois, Jesus aos judeus que nele creram: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sois meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.
Mateus 22:29: Jesus, porém, lhes respondeu: Errais, não compreendendo as Escrituras nem o poder de Deus;
Oséias 4:6: O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.


Estes versículos deveriam ser prioritários em pregações e ensino. Estamos falando de salvação. Salvação é o que Jesus veio pregar na Terra. Bênçãos, prosperidade, saúde, vitória são conseqüências da salvação. Mas hoje parece que redimensionamos as prioridades. Estamos pregando as conseqüências e esquecendo do principal.
Temos falhado em mostrar às pessoas que elas terão bênçãos sendo bênção para outros. Nós teremos tudo de Deus, quando Deus tiver tudo de nós. Estamos preocupados com o TER e esquecemos do SER. Se estivéssemos preocupados com o SER, seríamos assíduos na Escola Bíblica, pois é nela que SEREMOS melhores, SEREMOS mais conhecedores da Palavra da Deus e da Vontade de Deus para nossas vidas. É nela que aprenderíamos a melhor maneira de orar, e pedir as bênçãos a Deus.

- É nela que buscaríamos e praticaríamos melhores dons, e conheceríamos a nós e a nossos irmãos em Cristo.
- É nela que teremos Conhecimento.
- É só através dela que compreendemos o Poder de Deus.
- É só através dela que podemos permanecer em Cristo.
- É só através dela que teremos libertação.
- É só através dela que aplicaremos em nossas vidas o que João, Mateus, Oséias e Nosso Senhor Jesus Cristo nos alertam com relação ao ensino.

Jesus antes de mais nada é chamado de Mestre (Rabi). Veja João 3:2; Lucas 5:5; 8:24-25; 9:33,49; 17:13. Isto é, uma pessoa de ensino. Jesus quando chegava em um local, dirigia-se à sinagoga da cidade e ensinava. Começava seu ministério ensinando. Só depois, então, que curava, pregava, fazia outras maravilhas. Mas mesmo após curar e pregar, Jesus continuava ensinando.

Confirme isto em Mt 4:23; 5:2; 7:29; 9:35; Mc 6:34; Lc 4:15; 5:3; Jo 7:14; 8:2.
Hoje pregamos ao contrário. Pregamos assim:

- Venha e receba a bênção poderosa.
- Venha que você será curado.
- Venha que a prosperidade bate à sua porta.

Mas o certo é:

- Venha e aprenda como ganhar o Reino de Deus, primeiramente.
- Venha e aprenda como ser salvo.
- Conquiste sua Salvação, aprendendo na Palavra de Deus os passos para isto.

Só então, automaticamente, virá a bênção, a cura, a prosperidade, a libertação.
Eu concordo que é correto chamar abelhas com mel e não vinagre. Só que esta técnica de marketing foi usada por pastores do passado. Mas eles mostravam e ministravam vinagre quando necessário. Acontece que os líderes de hoje, menos preparados, acham que ministrando mel para sempre, darão a saúde e os nutrientes necessários para seus membros. (Mel=prosperidade, procura por bênção, procura por ter).
Estamos dando de graça, de "forma mastigada", sem esforço, o modo de conseguir as bênçãos. Pregamos sobre Moisés, Jesus, José, Paulo, mostrando seus exemplos, o que foram, o que fizeram, o que conseguiram.
As pessoas acomodam-se então, não buscando mais alimento espiritual por si próprias. Não buscam sua própria cura, mas ficam alienadas para vir toda sexta atrás da libertação, ou no domingo em busca da oração de prosperidade da semana. Não oram para sua própria cura interior, sua libertação, sua bênção, pelo agradecimento especial a Deus.
Esperam que em outras pregações lhes falem dos grandes exemplos, das formas de obter as coisas. Com isto, as pessoas não estão se esforçando para conseguir o que elas necessitam por si mesmas. O aprendizado desta forma, somente falado e decorado (e não vivenciado), é esquecido.
Este é um dos motivos que tantas pessoas passam por nossas igrejas e não ficam.
Estamos lhes dando tudo sem esforço, e numa ordem trocada: Primeiro as bênçãos, depois o ensinamento da Palavra (o real motivo das bênçãos).

 

A Busca do Ter em Detrimento do Ser

Quando os pastores interrompem o somente dar bênçãos, com a finalidade de fazer seus membros subirem alguns degraus: batismo com Espírito Santo, ensino da Palavra, discipulado, oração, busca de poder e busca de dons..., as pessoas então saem das igrejas e buscam outras igrejas ou comunidades que ainda mantém o ciclo de dar (as bênçãos, a prosperidade, a cura...).
Mas lá também se precisa parar e iniciar a subida dos degraus do ensino, sob pena de se ter somente pedintes da fé, mendigos da bênção, ouvintes e não praticantes da Palavra. Aí as pessoas saem da igreja. Vão a outras igrejas que naquele momento estão empenhadas no Ter. E a busca se eterniza, sem resultados. Entram de igreja em igreja tentando receber a injeção da bênção, viciadas em TER, esquecidas de SER.

Um sábio chinês disse certa vez que é mais interessante se ensinar a pescar que se dar o peixe. Ensinando-se a pescar, o aluno poderá pescar sempre que quiser ou der fome. Enquanto que se não ensinar, o suposto aluno procurará sempre seus mestres da pesca (ou da fé), esperando algum peixe para ser doado. O suposto aluno sempre estará dependente de alguém para pescar.
Devemos aprender a ganharmos a salvação. Devemos aprender o modo de não perder a salvação. E nunca mais se esquecer disto.
É este o exemplo que Jesus nos mostra: ENSINO é a chave. É pela falta de ensino na igreja e é pela inversão de ordem de prioridade (dar e depois ensinar, quando deveria ser ensinar e depois dar), que as pessoas não ficam em nossas igrejas. E é também por este motivo que as Escolas Bíblicas estão vazias.

 

Falta de Líderes

E é por este motivo que já há falta de líderes hoje em dia. Teremos no futuro, igrejas sem pastores, paróquias sem padres, escolas sem professores e denominações com “líderes” medíocres. Isto porque não estamos dando ênfase no ensino e na formação de nossos ministérios.

 

O Que Estamos Lendo Hoje Em Dia

As pessoas hoje em dia não dispõem de muito tempo. Por isto buscam com mais freqüência, a praticidade. Tem sido extremamente práticas. A confirmação deste fato vem do aumento da compra e do aluguel de cassetes de vídeo e mais recentemente do aumento das licenças de uso das TVs a cabo. É mais fácil e rápido ver um filme que apresenta uma história inteira em 2 horas, do que ler o livro do mesmo título por 15 a 20 dias. Mesmo que haja a perda da riqueza do enredo e do viajar da imaginação entre paisagens e personagens, muitas vezes únicas, sob seu próprio ponto de vista.

Televisão, Rádio ou Livro

O livro hoje em dia tem sido um vilão quando comparado com o teatro, cinema, vídeo, TV e até o rádio. O livro alcança uma pequena parcela da população, ainda menor na América Latina, onde o Brasil situa-se.
A culpa disto não é da localização geográfica somente, ou do baixo incentivo à educação neste país. A culpa é também dos escritores. Muitos deles escrevem em demasia, de forma confusa, tornando difícil e demorada nossa compreensão do texto.

O Culpado não é só Você

Os escritores e autores escrevem em demasia para que compreendamos rapidamente e com nitidez seus textos. Se os autores fizessem um bom uso de tabelas, gráficos, esquemas, desenhos, fotos, tópicos..., eles economizariam muitas linhas de escrita e muito tempo dos leitores.
Veja a diferença em três formas distintas de apresentação:

Primeiro Texto

O tempo da volta de Jesus iniciou em Pentecostes. A partir desta data, aproximadamente 30 d.C., estamos na contagem regressiva para a volta de Jesus. Os acontecimentos dos últimos tempos serão: Arrebatamento da Igreja, 3,5 anos (ou meses) de reinado de um AntiCristo bonzinho, 3,5 anos (ou meses) de reinado de um AntiCristo mostrando sua verdadeira face e intenção, Ressurreição dos Salvos (1a Ressurreição), Volta de Jesus com os Anjos e os Salvos (Ressurretos e Arrebatados), 1000 anos de Reinado de Jesus e seus escolhidos, Ressurreição dos Ímpios e Julgamento do Grande Trono Branco. Após Satanás será lançado no inferno definitivamente.

Segundo Texto

O tempo da volta de Jesus iniciou em Pentecostes. A partir desta data, aproximadamente 30 d.C., estamos na contagem regressiva para a volta de Jesus. Os acontecimentos dos últimos tempos serão:

- Arrebatamento da Igreja,
- 3,5 anos (ou meses) de reinado de um AntiCristo bonzinho,
- 3,5 anos (ou meses) de reinado de um AntiCristo mostrando sua verdadeira face e intenção,
- Ressurreição dos Salvos (1a Ressurreição),
- Volta de Jesus com os Anjos e os Salvos (Ressurretos e Arrebatados),
- 1000 anos de Reinado de Jesus e seus escolhidos,
- Ressurreição dos Ímpios (2a Ressurreição) e
- Julgamento do Grande Trono Branco.
Após Satanás será lançado no inferno definitivamente.

Terceiro Texto

Veja como isto pode melhorar ainda mais se é utilizado desenho:

Finalizando - Melhor Texto

Percebeu a diferença. O segundo texto apresenta o assunto de uma maneira mais compreensível textual e espacialmente, somente com a utilização de tópicos. Todavia a representação gráfica do texto é mais fácil de ser compreendida e memorizada.
Há 5 ou 10 anos atrás, a utilização dos recursos de diagramação como tópicos, figuras, tabelas e esquemas, era de difícil uso e manuseio pela dificuldade de criação. Hoje, com a utilização de computadores e programas gráficos, a criação e posterior uso e manuseio é fácil e rápido.
De nada adianta evoluirmos tecnologicamente se não utilizarmos as evoluções no nosso dia a dia.
Mas muitos escritores e editoras continuam relutantes em utilizar tais recursos.
Nós abusamos nesta obra da utilização de tópicos, tabelas, esquemas, figuras, gráficos e desenhos. Isto porque sabemos que pedagogicamente estes recursos são melhores para o entendimento e a memorização.
Como um pensador chinês disse certa vez: "uma figura vale mais que mil palavras". Agora acrescentamos: "A figura analisada e compreendida você não esquecerá enquanto viver. Todavia, as mil palavras, após 3 anos, quem sabe o que serão delas em sua memória".

Auto-Ajuda

Os livros mais vendidos no Brasil, os que figuram em primeiros lugares na lista de best-sellers, ou são de esoterismo, ou são sobre auto-ajuda.
Estamos perdendo a corrida desta busca dos brasileiros por esoterismo e auto-ajuda, pois não estamos editando livros evangélicos que sejam facilmente assimilados pelos leitores. Quem está fazendo uso em demasia de figuras, tabelas e tudo o mais, está vendendo milhares de unidades (alguns livros vendem milhares de unidades por dia, como o livro Anjos Cabalísticos de Monica Buonfiglio). O conteúdo é uma droga. Existe muita mentira e ilusão, mas se vendeu muito.

 

Conclusão

Como então devem ser estes livros. Além de inspirados, é claro, devem ser:
- Pequenos, com muitas tabelas, gravuras, gráficos, esquemas, macetes...
- Os assuntos são os que já existem muitos livros evangélicos por aí. Todavia, a maioria dos assuntos, o público envolvido gostaria que uma mesma pessoa ou grupo de pessoas discorresse. Pois aí a linguagem padronizada proporcionaria um entendimento amplo, de maior alcance e entrelaçado dos diversos assuntos abordados. Evitar-se-ia com isto, a repetição de determinadas citações, e elas seriam colocadas em momentos adequados, quase como pré-requisitos de outras citações e assuntos. Exemplo: Ao citar que quem não adquire a salvação vai para o inferno no livro sobre céu e inferno, o pré-requisito de conhecimento deveria ser, entre outros assuntos, a Trindade, mostrando a separação e diferença entre Bem, Carne/Natureza e Mal. Se você está no lado do Mal ou da Carne/Natureza (morno), você seguramente não irá para o paraíso.
- A Linguagem deve ser simples, nem acadêmica, nem fútil.
- Deve-se colocar em pauta pontos polêmicos, aqueles que nossos mestres escondem (evitando discussões e polêmicas), mas que, sempre quando estamos evangelizando, alguém utiliza e inverte a vantagem da evangelização. Os pontos polêmicos deverão ser elucidados à luz do conhecimento bíblico e da ciência atual. Ou seja, colocar em prática o que II Coríntios 2:11 e versículos anteriores nos dizem: "Para não ser vencido pelo inimigo é necessário saber como ele pensa, conhecendo até antecipadamente seus desígnios". Isto chama-se Apologia da Fé, a defesa de nossa fé, confrontando a verdade com os argumentos de muitos que utilizam a Ciência para invalidar a fé e a verdade bíblica.
- Deve haver muito auto-ajuda, ou macetes pessoais para auto-crescimento, ou melhor ainda, regras práticas para a vida do dia a dia.

O que um Bom Livro Evangélico deve Ter

Cito alguns títulos de dicas, para que se possa entender o que é auto-ajuda e como ela se encaixa no ensino cristão:
1. Como acionar seu anjo da guarda.
2. Como ficar rodeado com a proteção de anjos.
3. Como orar e obter a resposta de Deus.
4. Porque devemos interceder em oração para outros.
5. Lista de Pecados e onde estão descritos ou citados na Bíblia
6. Como ser batizado com o Espírito Santo.
7. Como ficar cheio do Espírito Santo.
8. Como reconhecer um milagre.
9. Como reconhecer o que é uma verdadeira religião e uma seita.
10. Quais os sinais da Vinda de Jesus.
11. Como adquirir Prosperidade.
12. Como adquirir Sabedoria.
13. Como ficar livre de Satanás e de seus demônios.
14. Que tradução bíblica é mais adequada para um estudo das palavras e etimologia bíblica.
15. Como você pode estudar a Bíblia da melhor maneira possível.
16. Como converter as medidas bíblicas em medidas que você conhece.
17. Qual o significado e onde está citado os nomes Bíblicos, que poderão ajudar na escolha de um nome vitorioso para seus filhos.

Resumindo: Deve-se criar livros que os cristãos tenham orgulho de carregar consigo, até pela real e imediata serventia que eles proporcionam.